Alunas de Enfermagem têm artigo publicado em revista internacional

Sexta-Feira - 22/03/2019


O trabalho foi orientado pelo prof. José Júnior dos Santos Aguiar.

O artigo “Perfil químico, avaliação antibacteriana e moduladora a aminoglicosídeos do extrato hexânico do estigma de Zea mays L. (Poáceas)” das alunas do curso de Enfermagem da Unileão Ana Beatriz Linard de Carvalho, Paula Letícia Wendy de Souza Nunes, Valéria Maria da Silva Lima foi publicado na revista internacional Antibiotics. O trabalho científico foi orientado pelo professor da Instituição José Júnior dos Santos Aguiar.

O objetivo da pesquisa foi avaliar a atividade antibacteriana do extrato hexânico do estigma de Zea mays L. e comparar a atividade antibacteriana e modulatória aos antibióticos da classe aminoglicosídeos pela técnica de microdiluição.

A pesquisa partiu da ideia de testar a eficácia do Zea mays L. (cabelo de milho) frente à sua situação biológica para descobrir se a planta medicinal tem ação modulatória, ou seja, se ela seria capaz de potencializar as ações do fármaco. Para isso, as alunas procuraram a orientação do professor José Júnior dos Santos Aguiar, que trabalha com a linha de pesquisa do uso de antibióticos e de plantas medicinais.

Resultado da pesquisa

A investigação confirmou a hipótese levantada pelas alunas de que o cabelo de milho tinha a capacidade de potencializar a ação de medicamentos, principalmente daqueles pertencentes à classe dos aminoglicosídeos, fármacos compostos de um grupo amino e um grupo glicosídeo.

“Pelos resultados do artigo, ao se combinar o antibiótico com o cabelo de milho é possível se diminuir a dose do medicamento e conseguir o mesmo efeito que ele fazia antes. Isso é bom porque reduz os efeitos colaterais anteriores causados pelo uso do antibiótico, melhorando ainda mais o seu efeito”, explicou o prof. José Júnior dos Santos Aguiar.

O resultado foi encaminhado para a revista científica Antibiotics, conhecida internacionalmente por valorizar o potencial biológico das plantas medicinais combinadas com antibióticos, que publicou o artigo depois de 15 dias da aceitação do trabalho científico.

Iniciação científica

O professor considerou o resultado muito importante para o campo da pesquisa na área de antibióticos e plantas medicinais. Ele ressaltou a possibilidade de estudantes, independente do semestre que estejam cursando, iniciarem na área de pesquisas.

“Ainda não havia nenhuma pesquisa nesse sentido e o resultado pode servir de base para estudos posteriores. As alunas me procuraram quando ainda estavam no segundo semestre. Aceitei o desafio e começamos um trabalho intenso. Tivemos a felicidade de confirmar as hipóteses levantadas e que embasaram a pesquisa. Isso serve para alunos recém-ingressados como exemplo da possibilidade de se mergulhar no campo da pesquisa em qualquer estágio da vida acadêmica”, observou.

O professor enfatizou ainda o potencial da Unileão em dispor de estrutura e equipamentos adequados para dar o suporte necessário aos jovens pesquisadores. “Temos um centro universitário completo, com ferramentas incríveis que podem contribuir para o sucesso desses alunos da mesma forma que aconteceu com essas três estudantes do curso de Enfermagem”, frisou.

Jovens pesquisadoras

Paula Letícia Wendy de Souza Nunes

Para a aluna Paula Letícia Wendy de Souza Nunes, o trabalho foi enriquecedor e proporcionou bastante experiência. A estudante conta que recebeu a notícia da publicação com muito entusiasmo. “A sensação é de muita alegria e orgulho. Não foi uma tarefa fácil, tive um contanto com novas experiências, algo que não tinha conhecimento algum na prática. Foi uma oportunidade única. Sabemos o quanto enriquecedor essa publicação representa para o nosso futuro profissional”, afirmou.

Segundo a estudante, a Unileão foi de fundamental importância para o sucesso da pesquisa por disponibilizar uma estrutura ampla, onde foi possível utilizar um dos laboratórios para a realização dos experimentos, bem como uma sala de reunião para os encontros de avaliação no processo de desenvolvimento do artigo.

Atualmente, a aluna está matriculada no sétimo semestre de Enfermagem, é monitora da disciplina de Urgência em Saúde e participante de dois grupos de pesquisa: o Grupo de Estudo e Pesquisa Sobre Práticas Avançadas em Saúde (GEPPAS), da Universidade Regional do Cariri, e o Núcleo de Estudo e Pesquisa Integrativa em Saúde (NEPIS), do Centro Universitário Doutor Leão Sampaio.

Valéria Maria da Silva Lima

Valéria Maria da Silva Lima, que também foi autora do artigo, disse que a vontade de desenvolver a pesquisa surgiu em uma das aulas de genética, ministrada pelo professor José Júnior, quando ele levou a temática para a sala. A partir desse contato com o tema, ela e as colegas perceberam a necessidade de buscar mais informações sobre o assunto.

“A Unileão contribuiu bastante no incentivo para a pesquisa, que é feito por meio da estrutura disponibilizada e na seleção de seus professores, visto que o professor Júnior é um excelente profissional. Foi ele quem nos mostrou esse mundo da pesquisa, para além da sala de aula, e nos cativou. Hoje, eu e minhas amigas temos o sincero sentimento de gratidão pelo professor”, declarou.

A aluna afirma que pretende seguir na área da pesquisa no intuito de compartilhar conhecimentos. Ela também está cursando o sétimo semestre e faz parte do grupo de pesquisa NEPIS, do Programa de Extensão Sorriso Grisalho e do Grupo de Extensão Enfermagem da Alegria.

Ana Beatriz Linard de Carvalho

Ana Beatriz Linard de Carvalho também enalteceu a orientação do professor Júnior, principalmente pelo fato das discentes estarem cursando o segundo semestre na época do início da pesquisa, quando ainda começavam a ter contato com os conhecimentos necessários para a pesquisa.

Ela conta que a temática voltada à resistência de antibióticos é muito problematizada, por isso surgiu a ideia de se trabalhar algo eficiente para a promoção da saúde e que viesse a ser aprofundado posteriormente por outros pesquisadores.

O uso de antibióticos, segundo a aluna, é cada vez mais comum e isso diminui a qualidade de vida das pessoas. O estudo com as plantas medicinais veio como uma possibilidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas que dependem desses medicamentos e, ainda, como uma forma de reduzir o custo com o tratamento, facilitando o reestabelecimento da saúde das pessoas mais pobres.

“O resultado da publicação proporcionou uma imensa satisfação e um reconhecimento pelo nosso esforço diante de uma oportunidade que nos foi dada e que será importante durante toda a nossa vida acadêmica e profissional”, disse Ana Beatriz, que também cursa o sétimo semestre em Enfermagem na Unileão e pretende seguir a carreira de pesquisadora. “A partir do esforço e do aperfeiçoamento sempre podemos aprender mais, então, cada conquista é um estímulo, uma ação impulsionadora para irmos além”, concluiu a discente.



Categorias: Notícia |