Junho Vermelho destaca a importância da doação de sangue

Terça-Feira - 11/06/2019


Segunda a OMS, o ideal é que cada país possua de 3 a 5% da população doadora de sangue. No Brasil, o índice é de apenas 1,8%.

A prática da doação de sangue ainda é um tabu para muitas pessoas. Esse fator, atrelado ao início do inverno no mês de junho e à aproximação do período de férias contribui para que bancos de sangue registrem queda no estoque. A campanha do Junho Vermelho busca conscientizar a população para a importância da doação de sangue.

Ações da Unileão

No Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão), ações de conscientização são realizadas durante todo o ano. É o caso do evento Universitário Sangue Bom, uma parceria com o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), que ocorrerá em agosto e tem o intuito de realizar a coleta de sangue no campus Lagoa Seca.

A iniciativa é organizada pela profa. Márcia Leite, do curso de Administração, com apoio dos eixos de Pessoas e de Operações, representados pela Liga Acadêmica de Pessoas (LAP), pela Liga Acadêmica de Operações e Sustentabilidade (LAOS) e pelo Projeto Consciência Sustentável do Programa de Educação Ambiental e Sustentável da Unileão (PEAS). A doação de sangue pode ser considerada uma ação sustentável por estar inclusa na dimensão social dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Já o curso de Biomedicina promove eventos corriqueiros com prestação de serviços gratuitos de saúde, como a tipagem sanguínea. Uma pesquisa do Instituto Datafolha e do Movimento Eu Dou Sangue mostrou que, dentre os 2.771 entrevistados, 39% não sabia o seu tipo de sangue, principalmente aqueles que estavam na faixa etária dos 16 aos 24 anos.

Em 2017, o estudo do Datafolha apontou, ainda, que cerca de 92% da população brasileira não havia doado sangue no período de junho de 2016 a junho daquele ano. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é que cada país possua entre 3 e 5% de doadores de sangue na população. No Brasil, entretanto, o índice fica em apenas 1,8%.

Orientações para doadores

Para se tornar um doador é preciso apresentar documento original com foto recente, ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar mais de 50 kg, dormir pelo menos seis horas no período de 24 horas que antecede a doação, estar bem alimentado, evitando o consumo de comidas gordurosas nas quatro horas que antecedem a coleta.

Estão impedidas de doar as pessoas que desenvolveram hepatite após os 11 anos de idade; que fazem uso de drogas ilícitas injetáveis; que estejam grávidas ou amamentando; que tenham sido infectadas com malária por Plasmodium malariae; com evidência clínica ou laboratorial das doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.

Em caso de dúvidas, os interessados podem ser orientados nos Centro de Hematologia espalhados pelo país.

O intervalo entre as doações também é um fator importante. As mulheres devem esperar 90 dias entre um procedimento e outro, enquanto que os homens têm que aguardar 60 dias.

Onde doar?

Hemonúcleo de Juazeiro do Norte

Endereço: R. Maria Beata de Araújo, nº 30, bairro Romeirão

Telefone: (88) 3102-1169 e (88) 3102-1170



Categorias: Notícia |